Efémero - Companhia de Teatro de Aveiro

Estaleiro Teatral

Consulte aqui as próximas iniciativas que vão decorrer na sala.

Estreia dia 15 de Abril às 16:00h

Teatro para toda a família

De entre tantos autores que abordaram esta fábula: Esopo, Horácio, Francisco Sá de Miranda, La Fontaine, optámos por nos inspirar no autor português que viveu entre os séc XV e XVI. Considerada por muitos como uma das joias da narrativa portuguesa, veio mais tarde a influenciar La Fontaine que curiosamente a intitulou… Le rat de ville et le rat des champs! Sá de Miranda, ao escrever esta fábula, quis pôr em contraste o universo rústico portugûes com as consequências da grande expansão das descobertas, que levou muita gente a sair do campo para a cidade. Da mesma forma, nos dias de hoje, o interior vai-se desertificando pois as pessoas procuram acima de tudo melhores condições de vida para si e para os seus, que lhes é oferecido sobretudo nos grandes centros urbanos. Com a adaptação desta fábula queremos pôr em confronto opções de vida no mundo actual que nos obrigam a reflectir e a ponderar qual a melhor estratégia para vivermos confortavelmente na moderna sociedade. Sendo destinada à infância e juventude mais pertinente se torna o tema pois serão as novas gerações que se irão deparar, muito mais do que nós, adultos, com o real dilema de viver em grandes metrópoles versus pequenas cidades, vilas e aldeias rurais. Questões como a qualidade ambiental, estilos de vida e sua sustentabilidade, usufruto tecnológico e mais valias socioculturais serão levantadas neste trabalho. Com a animação sempre presente, juntando actores reais e personagens virtuais, canções, luz e som, pretendemos destacar estas e outras realidades: a natureza e o betão, o silêncio e a agitação, a pureza e a poluição, o atraso e o progresso, o isolamento e a acessibilidade, entre outros. Uma palavra final será dada aos espectadores, que ao longo do espectáculo irão interagir com os dois ratos, respondendo aos seus anseios e interrogações, criando a cumplicidade necessária para decidirem com qual dos dois estilos de vida se identificarão. Será isso que iremos propor no final da peça, fugindo aqui um pouco à moralidade da fábula: Qual o melhor sítio para se viver? Por quem “torcerão” mais? Pelo rato do campo? Pelo da cidade?

Ficha Técnica e Artística

TEXTO : Ricardo Moreira | ENCENAÇÃO : Vítor Correia´ VÍDEO, ANIMAÇÃO E EFEITOS SONOROS:Ricardo Moreira e Vítor Correia COMPOSIÇÃO MUSICAL : Daniel Oliveira INTERPRETAÇÃO: Carla Leal | Telma Lopes VOZES DE ANIMAIS: Érica Vieira | Pedro Casal | Ricardo Moreira | Vítor Correia PRODUÇÃO: Efémero-CTA

Esta produção teve o apoio a projectos de criação artística OPEN CALL

promovido pela Câmara Municipal de Aveiro.

As sessões para as escolas começam já no dia 13 e vão prolongar-se até 22 de Abril. Retomam depois de 9 a 20 de Maio. Para o público em geral temos matinés às 16:00h, dias 15 , 16, 23 e 24 de Abril e 14, 15, 21 e 22 de Maio.

Dias 29 e 30 de Abril às 21:30h

Dança Contemporânea

Dias 6 e 7 de Maio às 21:30h

Teatro

Notas do encenador Nos anos idos de 2001, a Mariana Coelho, desafiou-me a dirigi-la em ”A Voz Humana”. Recordo de a essa data lhe ter dito – Um dia. – Mais tarde. E a partir daí, ficou mais que assente que esse dia chegaria. Vinte e um anos depois, aqui estamos para Vos oferecer a nossa reinterpretação deste texto de referência da dramaturgia Universal, aqui, designada por Mágoa. ”…Reduzida a ouvir-te, vejo com os ouvidos…Este fio é a única coisa que me liga ainda à nossa vida…Por mais que se preveja, por mais que se espera a infelicidade, nem por isso dói menos quando chega”. Nesta minha releitura, A Voz, ganha corpo em cena e nas memórias guardadas nos espelhos/ecrãs, num trabalho exigente e minucioso por parte da atriz, que assim nos envolve e devolve, toda a Emoção e o Sentir, deste espetáculo que agora vos vamos dar a ver . Fraga
RESERVAS  RESERVAS 

Informações e reservas:

234 386 524 ou estaleiroteatral@gmail.com

Efémero - Companhia de Teatro de Aveiro

Estaleiro Teatral

Consulte aqui as próximas iniciativas que vão decorrer na sala.

Estreia dia 15 de Abril às 16:00h

Teatro para toda a família

De entre tantos autores que abordaram esta fábula: Esopo, Horácio, Francisco Sá de Miranda, La Fontaine, optámos por nos inspirar no autor português que viveu entre os séc XV e XVI. Considerada por muitos como uma das joias da narrativa portuguesa, veio mais tarde a influenciar La Fontaine que curiosamente a intitulou… Le rat de ville et le rat des champs! Sá de Miranda, ao escrever esta fábula, quis pôr em contraste o universo rústico portugûes com as consequências da grande expansão das descobertas, que levou muita gente a sair do campo para a cidade. Da mesma forma, nos dias de hoje, o interior vai-se desertificando pois as pessoas procuram acima de tudo melhores condições de vida para si e para os seus, que lhes é oferecido sobretudo nos grandes centros urbanos. Com a adaptação desta fábula queremos pôr em confronto opções de vida no mundo actual que nos obrigam a reflectir e a ponderar qual a melhor estratégia para vivermos confortavelmente na moderna sociedade. Sendo destinada à infância e juventude mais pertinente se torna o tema pois serão as novas gerações que se irão deparar, muito mais do que nós, adultos, com o real dilema de viver em grandes metrópoles versus pequenas cidades, vilas e aldeias rurais. Questões como a qualidade ambiental, estilos de vida e sua sustentabilidade, usufruto tecnológico e mais valias socioculturais serão levantadas neste trabalho. Com a animação sempre presente, juntando actores reais e personagens virtuais, canções, luz e som, pretendemos destacar estas e outras realidades: a natureza e o betão, o silêncio e a agitação, a pureza e a poluição, o atraso e o progresso, o isolamento e a acessibilidade, entre outros. Uma palavra final será dada aos espectadores, que ao longo do espectáculo irão interagir com os dois ratos, respondendo aos seus anseios e interrogações, criando a cumplicidade necessária para decidirem com qual dos dois estilos de vida se identificarão. Será isso que iremos propor no final da peça, fugindo aqui um pouco à moralidade da fábula: Qual o melhor sítio para se viver? Por quem “torcerão” mais? Pelo rato do campo? Pelo da cidade?

Ficha Técnica e Artística

TEXTO : Ricardo Moreira | ENCENAÇÃO : Vítor Correia´ VÍDEO, ANIMAÇÃO E EFEITOS SONOROS:Ricardo Moreira e Vítor Correia COMPOSIÇÃO MUSICAL : Daniel Oliveira INTERPRETAÇÃO: Carla Leal | Telma Lopes VOZES DE ANIMAIS: Érica Vieira | Pedro Casal | Ricardo Moreira | Vítor Correia PRODUÇÃO: Efémero-CTA

Esta produção teve o apoio a projectos de criação

artística OPEN CALL promovido pela Câmara

Municipal de Aveiro.

As sessões para as escolas começam já no dia 13 e vão prolongar-se até 22 de Abril. Retomam depois de 9 a 13 de Maio. Para o público em geral temos matinés às 16:00h, dias 15 , 16, 23 e 24 de Abril e 14, 15, 21 e 22 de Maio.

Dias 29 e 30 de Abril às 21:30h

Dança Contemporânea

Dias 6 e 7 de Maio às 21:30h

Teatro

Notas do encenador Nos anos idos de 2001, a Mariana Coelho, desafiou- me a dirigi-la em ”A Voz Humana”. Recordo de a essa data lhe ter dito – Um dia. – Mais tarde. E a partir daí, ficou mais que assente que esse dia chegaria. Vinte e um anos depois, aqui estamos para Vos oferecer a nossa reinterpretação deste texto de referência da dramaturgia Universal, aqui, designada por Mágoa. ”…Reduzida a ouvir-te, vejo com os ouvidos…Este fio é a única coisa que me liga ainda à nossa vida…Por mais que se preveja, por mais que se espera a infelicidade, nem por isso dói menos quando chega”. Nesta minha releitura, A Voz, ganha corpo em cena e nas memórias guardadas nos espelhos/ecrãs, num trabalho exigente e minucioso por parte da atriz, que assim nos envolve e devolve, toda a Emoção e o Sentir, deste espetáculo que agora vos vamos dar a ver . Fraga
RESERVAS  RESERVAS 

Informações e reservas:

234 386 524 ou estaleiroteatral@gmail.com